Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Vacinação infantil

*Para informações técnicas direcionadas aos profissionais de saúde, consulte a área de Notas Técnicas

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS VACINAÇÃO CRIANÇAS DE 5 A 11 ANOS

 

Quais as vacinas disponibilizadas para as crianças? 

No Brasil, existem duas vacinas autorizadas pela ANVISA para aplicação em crianças abaixo dos 12 anos.

Uma delas é a do laboratório PFIZER/BIONTECH para uso pediátrico em crianças de 5 a 11 anos. O frasco tem a tampa de cor de LARANJA. A vacina deverá ser aplicada via intramuscular.

A Coronavac/Butantan também está liberada para crianças de 6 a 17 anos, desde que não sejam imunocomprometidas.

 

A vacina contra covid-19 das crianças é diferente da vacina dos adultos e adolescentes? 

A da Pfizer tem diferenças entre a infantil (de 5 a 11 anos) e a para população acima de 12 anos. Elas têm diferenças entre as apresentações e excipientes*. O frasco da vacina de adultos e adolescentes tem a tampa na cor ROXA. A vacina das crianças tem a tampa cor de LARANJA. A dose para as crianças é diferente, ou seja, 0,2 ml.

A Coronavac é a mesma independente de faixa etária.

*Excipientes são as substâncias que fazem parte da composição da vacina.

  

Qual o esquema vacinal da vacina covid-19 nas crianças? 

Serão duas doses de vacina contra a covid-19 para crianças. O intervalo dessas doses deve ser, no mínimo, de 21 dias conforme consta na bula*.  No Brasil, para a Pfizer, será adotado o intervalo de 8 semanas, conforme definição do Ministério da Saúde**. 

*Bula da dose da Pfizer infantil: https://www.pfizer.com.br/sites/default/files/inline-files/Comirnaty_Profissional_de_Saude_24.pdf
** NOTA TÉCNICA Nº 2/2022-SECOVID/GAB/SECOVID/MS 

A Coronavac***, assim como para demais idades, tem esquema de duas doses com intervalo de 28 dias entre elas.

 *** INFORME TÉCNICO nº 03/2022 - Especificações da vacina Coronavac produzida pelo laboratório Butantan para uso em crianças e adolescentes de 06 a 17 anos de idade, exceto em imunocomprometidos.

Qual grupo será vacinado primeiro?

Inicialmente, a partir de 19 de janeiro de 2022, serão vacinadas as crianças com alguma comorbidade: como asma, doença neurológica, imunodeficiência, doença cardiovascular, pneumopatia, neoplasia, doença hematológica, diabetes melittus, Síndrome de Down, doença renal crônica e doença hepática.

 

O que é preciso levar para o local da vacinação?

- Documento do responsável e da criança (com foto)

- Carteira de vacinação da criança

- Paras as que possuam comorbidades, leve também receita médica, resultado de exame ou prontuário da unidade

 

A vacina deve ser diluída? 

A da Coronavac não. 

A da Pfizer sim, a vacina deve ser diluída com 1,3 mL de solução fisiológica 0,9%. 

Apresentação:
Comirnaty® para crianças de 5 a 11 anos de idade (5 a menos de 12 anos de idade) 10 µg/dose contém 1,3 mL de suspensão injetável concentrada (10 doses/frasco) armazenadas em caixas.
Cada caixa possui 10 frascos de vacina com tampa laranja. 

 

Qual a validade do frasco depois de aberto? 

A Pfizer tem prazo de validade do frasco depois de aberto é de 12 horas. Enquanto a da Coronavac esse prazo é de 8 horas.

  

Pode-se realizar a vacina contra a covid-19 junto com as outras vacinas do calendário vacinal das crianças? 

Não. A vacina contra a covid-19 nas crianças não deve ser feita no mesmo momento das outras vacinas do calendário vacinal. O intervalo recomendado é de 15 dias entre a vacina contra a covid-19 e as outras vacinas (NOTA TÉCNICA Nº 2/2022-SECOVI/GAB/SECOVI/MS). 

Justificativa: garantir que qualquer evento adverso ou efeito que possa ser atribuível à vacina, não seja confundido com a exposição a outros imunizantes ou fármacos. Assim como, evitar qualquer possibilidade de interação ou outro fator ainda não pesquisado ou reconhecido, visto que a aplicação da vacina está sendo em grande escala no mundo inteiro. 

  

É necessária a prescrição médica para vacinar as crianças de 05 a 11 anos de idade?

Não será necessária a prescrição médica para a aplicação da vacina.
(Resolução CIB/RS nº 506/21; NOTA TÉCNICA Nº 2/2022-SECOVID/GAB/SECOVID/MS). 

 

Eventos adversos leves (inchaço no local da injeção, dor no local, vermelhidão, entre outros) devem ser notificados?  

Sim, todos os eventos adversos devem ser notificados pelas Unidades de Saúde no e-SUS Notifica. Os pais ou responsáveis pelas crianças vacinadas devem ser orientados sobre os possíveis eventos adversos e para procurarem um serviço de saúde se ocorrer alguma suspeita de reação adversa. 

 

As crianças devem ficar em observação após a vacinação?

Sim! Por precaução recomenda-se que as crianças permaneçam no local por pelo menos 20 minutos após a aplicação.

 

Se tiver com febre, pode tomar a vacina? E no caso de estar com covid-19?

Em casos de doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se o adiamento da vacinação até a resolução do quadro.

Caso a criança tenha tido um resultado positivo para a covid-19, o adiamento deve ser até a recuperação total. O recomendado é receber a vacina quatro semanas após o início dos sintomas. Se a criança não tiver apresentado sintomas, contar o prazo a partir do primeiro resultado laboratorial.

 

O que fazer caso tenha completado 12 anos após a primeira dose?

Completar o esquema básico com a dose infantil na segunda aplicação.

 

BAIXE E IMPRIMA O LIVRO DE ATIVIDADES PARA AS CRIANÇAS - Acesse aqui

 

MATERIAIS E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES - Anvisa

- Anvisa aprova vacina da Pfizer contra Covid para crianças de 5 a 11 anos

Aprovada ampliação de uso da CoronaVac para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos

COMUNICADO PÚBLICO: Avaliação pela Gerência Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos e pela Gerência Geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária da Vacina Comirnaty (Pfizer/Wyeth) para Crianças de 5 a 11 anos- 16/12/2021

- Vídeo ANVISA - Comunicado público 16/12/2021

- Apresentação Ampliação de Uso da Vacina Comirnaty® (Pfizer) para a população pediátrica (5 a 11 anos)

Ampliação de faixa etária Formulação pediátrica Comirnaty

- Vídeos Depoimentos dos especialistas externos que acompanharam a avaliação da vacina para crianças

- Vídeo Anvisa Orientações sobre vacina da Pfizer para crianças

Coronavírus